Novidades

O Objetivo maior deste projeto é desenvolver a afetividade das crianças, incentivando-as a demonstrar carinho e reconhecimento às pessoas que participam de sua vida.

Atividades propostas
* Converse com os alunos sobre a família deles, para saber se o pai mora junto com a família e como é essa relação. A data pode ser um momento difícil para a criança que não tem pai ou cujo pai está em uma situação com a qual a criança não sabe lidar. Um modo de amenizar isso é valorizar outra presença masculina do convívio familiar (avô, tio ou irmão mais velho, por exemplo).
* Leia e explique para os alunos o texto informativo.
*Organize uma oficina de presentes.
Texto informativo

O Dia dos Pais é comemorado de maneiras muito diferentes pelo mundo. Alguns países até nem têm um Dia dos Pais. Outros comemoram sem presentes, só com um passeio em família.
No Brasil, a data é sempre lembrada nas propagandas de televisão: "O papai merece um presente, "Não se esqueça do presente do seu pai". É uma campanha para que todos comprem presentes.
Mas será que adianta um filho dar um belo presente no Dia dos Pais e nem dar bola para o seu pai nos outros dias?
Será que os pais estão mesmo ligando para os presentes? Ou preferem ganhar um abraço bem gostoso e um beijão bem melado?
E será que outra pessoa não pode ganhar o "parabéns" no Dia dos Pais? Claro que pode!
Muitas vezes, o avô, o irmão mais velho, o tio ou o padrasto são como pais na vida da gente. E muitas vezes essa figura paterna é representada por uma mulher, como a mãe, avó ou outra pessoa que faz parte da nossa vida.
E para eles também podemos dar um abraço bem gostoso e um beijão melado.
Fonte de pesquisa: Vai começar a brincadeira. Margaret Reser - Arnaldo Rodrigues Sorel Silva. Educação infantil - Pré-escola.
Sugestão de atividades
* Poesias, canções e atividades contextualizadas sobre o tema PAI.
* Converse sobre o pai das crianças: Seu nome, profissão, atividades que a criança realiza com ele e suas características físicas. (Se achar interessante, chame um pai de aluno para ser entrevistado na sala de aula).
* Sugestão de Vídeo: Uma babá quase perfeita, Três solteirões e um bebê, Falcão- O campeão dos campeões, Mentes que brilham. Temas sugeridos para trabalhar a situação de uma criança que é criada ou cuidada por PAI-MÃE.
Oficina
* Caderneta de anotações.
* Cartão com formato de camisa, gravata, carro, etc.
* Tela pintada: Numa tela própria para pintura, o aluno faz um desenho com guache.
* Trabalho de atividade artística com participação integral ou parcial do aluno.
Música

PRO PAPAI
PRO PAPAI
COM ALEGRIA
OFEREÇO, OFEREÇO
MEU CORAÇÃO
DENTRO DELE, DENTRO DELE
CADA DIA
CRESCE MAIS, CRESCE MAIS
MINHA AFEIÇÃO
ELE BATE, ELE BATE
NOITE E DIA
TIC-TAC, TIC-TAC
SEM PARAR.
DIZ COM ESSA
DIZ COM ESSA MELODIA
QUE PRA SEMPRE
QUE PRA SEMPRE
EU HEI DE AMAR.

(MÚSICA: Se essa rua fosse minha)


Em suas brincadeiras, as crianças representam vários papéis. No jogo do faz-de-conta, passam de um papel para outro, brigam, disputam brinquedos entre si, fazem as pazes e, desse modo, estão descobrindo meios de lidar com suas emoções e reorganizando seus pensamentos.
As histórias infantis também constituem boas oportunidades para que a criança entre em contato com medos, conflitos e ansiedades. Não é à toa que são eternas as histórias de lobos e madrastas malvados, bruxas com encantamentos e, por outro lado, fadas benfeitoras e crianças inocentes.
Reserve um tempo da aula para ler um conto de fadas para a turma. Faça desse momento agradável, de prazer, sem exigir de imediato o silêncio dos alunos, como se fossem "obrigados" a ficar imóveis e mudos para ouvir a história. Em vez disso, envolva-os na atividade:
*Apresente várias possibilidades de leitura. Deixe-os escolher o livro do dia, fazendo uma programação que inclua todos os livros escolhidos.
*Escolha textos adequados a faixa etária. Seria ótimo se a biblioteca da escola tivesse vários exemplares do mesmo livro. Assim, os alunos poderiam se reunir em grupo para acompanhar a leitura observando as figuras.
*Leia devagar, procurando dar uma entonação que reflita a emoção de cada passagem da história: medo, ameaça, suspense, amor...

__________________________________________________________________


Faça uma visitinha no meu Cantinho de selinhos!!
Click aqui e entre!

Recebi esse email do Ministério da educação e gostaria de repassar a todos os educadores que por acaso ainda não terminaram ou não possuem a graduação. Procure se informar. Bjs

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Gabinete do Ministro

Esplanada dos Ministérios, Bloco “L” - 8º andar - Gabinete.

70047-900 - Brasília - DF - BRASIL

Brasília, 06 de julho de 2009.

Assunto urgente: inscrição dos professores em exercício nos cursos gratuitos de formação inicial para o segundo semestre de 2009 – acesso a Plataforma Freire

Prezado(a) Professor(a),

A Rede de Ensino a qual você pertence aderiu ao Plano de Metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e elaborou seu Plano de Ações Articuladas (PAR), onde demonstrou as necessidades relacionadas à formação de seus professores, para assegurar a formação exigida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) a todos os educadores que nela atuam.

A Política Nacional de Formação dos Profissionais do Magistério da Educação Básica, tem a finalidade de organizar – em regime de colaboração da União com os estados, Distrito Federal e municípios – a formação inicial e continuada desses profissionais.

Por meio desse Plano, se você ainda não possui graduação ou possui graduação em área distinta da que atua, poderá efetuar sua pré-inscrição em cursos de primeira licenciatura, de segunda licenciatura e de formação pedagógica (para bacharéis sem licenciatura). Todas as licenciaturas das áreas de conhecimento da educação básica serão oferecidas no Plano, com cursos gratuitos para professores em exercício das escolas públicas, nas modalidades presencial e a distância. A pré-inscrição nos cursos será feita por você no sitio do MEC, no espaço denominado Plataforma Paulo Freire (http://freire.mec.gov.br), onde você também poderá cadastrar ou atualizar seu currículo.

A partir da sua pré-inscrição e da oferta de formação pelas Instituições de Educação Superior (IES), as secretarias estaduais e municipais de educação deverão validar as inscrições na Plataforma Freire, com base em seu planejamento estratégico, visando adequar a oferta das IES à demanda dos professores e às necessidades reais das escolas de suas redes. As inscrições validadas serão submetidas às IES que após processo seletivo, caso necessário, procederão à matrícula nos cursos.

Caso você já possua a formação adequada, incentive e mobilize os seus colegas da rede a se inscreverem. Qualquer informação adicional pode ser acessada pelo sítio do MEC (www.mec.gov.br) ou solicitada pelo endereço eletrônico plataformafreire@capes.gov.br

Atenciosamente,


Sem deixar de lado as questões importantes como a revisão de uma fundamentação teórica e a capacitação efetiva e permanente dos professores. Precisamos repensar nossa prática. E a alfabetização é a questão fundamental a ser analisada. Confesso que muitas vezes me pego perdida, paro e penso, será que é isso mesmo? Será que o que estou fazendo está tendo resultado?
Trabalho com a alfabetização a mais de dez anos e somente o ano passado é que fiquei fora da alfabetização. E esse ano estou em salas diferentes, de manhã trabalho com turma de alfabetização e a tarde com o maternal, também estou de certa forma alfabetizando a turminha do maternal, sem aquela obrigação como a turma do pré. E a minha angustia é quando tenho que entregar atividades xerocadas a eles, eu fico tão angustiada, pois eles quando pegam a folha, já falam logo, o que que é pra fazer? Eles ainda não dominam a leitura e é ai que penso, qual é a verdadeira representatividade nisso. E então, me pego muitas vezes no planejamento, repensando e agora? Então procuro na maior parte dar uma folha em branco nas mãos deles. E ai? Agora vamos criar. Conto uma história, deixo eles decidirem o final da história, não sabem escrever, então vamos desenhar e depois vocês vão contar para os colegas o que fizeram. E assim vou levando, faço um ditado de letrinhas, brinco de caça-palavras, pesca letras, jogos de letras, alfabeto móvel, bingo,cartazes com músicas e parlendas. Recorte e monta palavras, pesquisas em revistas e jornais.
Normalmente, o alfabetizador desenvolve seu trabalho sem saber o que vem a ser o processo de aquisição da linguagem escrita, e considera sua tarefa cumprida quando termina o conteúdo. A partir de uma linguagem irreal ( "O bebê baba", " A pata nada", "Vovô viu a uva" e assim vai...) representa um processo pedagógico em que ler é sinonimo de decodificar; e escrever, de copiar.
Hoje, precisamos repensar a alfabetização. Rever metodologias e enfrentar nossa própria história. Uma aprendizagem mecânica do ler e escrever, que não se apoie em ideias e conhecimentos adquiridos pela criança sobre a língua escrita, que não venha acompanhada de uma real compreensão dos usos e funções da linguagem, que não esteja sustentada em um interesse em comunicar e compreender, é seguramente inútil. É trabalhar objetivando somente um decodificador do código linguístico. É treinar um copista, que não conseguirá expressar-se por meio da escrita.
Buscar a compreensão dos porquês e conviver com as angustias de reconhecer aquilo que ainda não sabemos é o ponto de partida para esse re-pensar, buscando com insistência o re-conhecimento de teorias que conduzam, de modo competente, a uma pratica pedagógica, é a restauração do conceito de ler e escrever
pesquisa- ALP alfabetização- Maria Fernandes Cócco- Marco Antonio Hailer. FTD
Turminha de alfabetização a qual trabalho.