Novidades









Etapa de
Avaliação do projeto




Ao longo do projeto pude perceber a evolução da turma. A avaliação era diária, coletiva e individual. Quando olho para trás, é como se estivesse voltando no tempo. E só agora percebo o quanto este trabalho foi importante e quanto eu era engajada e preocupada em despertar no aluno o senso crítico, em face da avalanche de informações e entretenimentos em diferentes situações criadas em sala de aula. Aos poucos, as crianças foram desenvolvendo as atividades com mais segurança, o que antes era uma dificuldade foi se tornando uma diversão. E nesse momento aproveitava para apresentar a eles o mundo da escrita, através de história contada, livros, revistas, pesquisas, vídeos, etc. E aproveitávamos todas aquelas informações para registrar em cartazes, alfabeto móvel, produções coletivas e individuais. E era através do registro que percebia o aprendizado dos alunos. Ao longo e término do projeto tendo como foco o Sítio do Pica Pau Amarelo buscamos associar os conteúdos ao tema estudado, que despertou tão grande interesse na turma.






























































Etapa 5-
Alimentação



As crianças se identificaram com o projeto e utilizaram o espaço que abriu deixando aflorar cada vez mais a sua curiosidade, buscando respostas as suas perguntas. A literatura de Monteiro Lobato despertou o desejo mútuo de compartilhar e valorizar o trabalho do grupo respeitando as diferenças.


Cada atividade aproximava mais a turma e a busca do aperfeiçoamento nos trabalhos, a curiosidade na escrita das palavras, fazia com que os alunos desenvolvessem mais a sua capacidade cognitiva.



Os biscoitos de Tia Nastácia são os mais deliciosos, e as crianças puderam experimentar. A hora do lanche foi só curtição, que delícia!







Nós educadores temos um papel fundamental, de ser o facilitador no desenvolvimento da construção do conhecimento. Sendo assim, o nosso objetivo é de proporcionarmos as crianças a participação em cada atividade seja através de brinquedos com sucatas, construidos por eles e/ou trabalhar com o concreto para a criança através do contato, experimentar, descobrir e inventar.


Nessa fase entre 3 e 4 anos o uso da linguagem oral deve ser bastante estimulado, através da conversa, comunicar, expressar desejos, necessidades, idéias, sentimentos, relatando suas vivências nas diversas situações de interação presente no cotidiano, explorar e experimentar diferentes maneiras de se deslocar pelo espaço interagindo com os colegas, percebendo e acompanhando ritmos e melodias.




Etapa 5 - Aliмєntαçãσ

O projeto do sítio foi composto por atividades coletivas, desenvolvidas por todas as turmas, e por atividades específicas para cada turma de acordo com o nível de desenvolvimento e capacidade de entendimento. Embora as atividades coletivas foram decididas pelas professoras em conjunto e as específicas planejadas por cada uma a partir das coletivas. A troca de idéias e informações entre as professoras são de extrema importância para o sucesso do projeto.

Conscientizar a família da sua importância na criação e manutenção de bons hábitos alimentares é objetivo primordial para um bom resultado do trabalho, pois os hábitos familiares influenciam na alimentação das crianças.
A participação da família é muito importante, observo no prazer que a criança ao levar um ingrediente para fazer a sopa e a satisfação no rosto delas ao participar das atividades tem resultados imediatos, seja na exploração dos legumes, na degustação, na oralidade e na escrita em qualquer etapa, ela se sente mais interessada em realizar algo.
Olha o prazer ao comer a sopa com ingredientes trazidos por elas!

Etapa 5- Alimentação

Para ampliar o conhecimento sobre o tema alimentação saudável, é necessário tornar claro para a criança que a fome no país é um problema sério e de suma importância, tendo que ser discutido na escola. Levar ao conhecimento a realidade do país é construir no aluno a auto crítica e tornar esses novos cidadãos em pessoas solidárias e justas, vivendo em uma sociedade de igual valor, com direitos a saúde e uma boa alimentação.

As atividades realizadas tornaram as aulas mais dinâmicas e saborosas. Percebi que a criança ao levar o legumes, a verdura e a fruta, demonstrou maior interesse e sentiram a vontade de comer. O bom é poder aproveitar o máximo cada momento da aula, fazendo vários tipos de experiências com esses alimentos antes de consumidos. A salada de frutas foi uma festa só, antes trabalhamos os sentidos com o tato, olfato, visão e o paladar. Adivinhar qual era a fruta, com os olhos fechados, adivinhar a fruta através do cheiro e através do paladar, foi muito legal. Interessante que algumas crianças não descobriam frutas tão conhecidas e muitas vezes falava que não gostava e na hora de experimentar a fruta para descobrir gostava de comer o que estava experimentando, foi muito bom! Mostrar a criança a importância de lavar bem as frutas, verduras e legumes com uma preparação especial e lavar bem as mãos antes das refeições para evitar doenças é valioso. Ensinar bons hábitos de higiene através desse tema é de fácil compreensão para os pequenos.


Etapa 5 -Alimentação
Trabalhar a alimentação saudável e incentivar os bons hábitos alimentares aos pequenos é importantíssimo, pois a partir da conscientização e o porque e quais os motivos de nos alimentarmos é que desperta nos alunos o interesse e a busca de uma boa alimentação. Fazer a hora das refeições um momento importante e agradável, é dar oportunidade a criança vivenciar o que ela vai comer, ter o contato com os alimentos antes da preparação, fazer a criança participar ativamente de todo o processo para despertar a curiosidade, a vontade e o prazer na hora de comer.
A parlenda é uma ótima dica para um bom começo de assunto. Brincamos com a parlenda Salada, saladinha.

Salada, saladinha
Bem temperadinha
Com sal, pimenta
Um, dois, três.

Contei a história "Amanda no país das vitaminas".


A partir da história e da parlenda, fizemos jogos de associação, e perguntas, como:
- Quais os alimentos verdes?
-Quais os alimentos que fazem parte da salada ou que fazem parte de uma sopa?
-Quais os legumes?
Pedir que a própria criança leve o material para a aula, legumes, verduras e etc. levar o aluno o contato, manusear o legume, experimentar, tocar, isso faz com que a criança se interesse mais e ensentiva-o a comer. E perguntas que possa transmitir de uma forma bem fácil para o entendimento dessa faixa etária, são atividades de suma importância para o envolvimento e enriquecimento do trabalho. Agora é só partir para o trabalho de escrita, quantidades, horta, jardim, pomar, zona rural, zona urbana, etc.